05 razões porque relacionamentos gays não duram e como evitá-las

0
9
views

*Tradução livre que fiz do artigo escrito por Ian Glasim, com algumas modificações que me permiti fazer em relação ao original.

Este é um assunto complexo e profundo, então eu apenas vou arranhar a superfície dele. Aqui apresento as cinco maiores razões pelas quais eu acredito que relacionamentos gays normalmente não duram e o que você pode fazer para se prevenir disso.

1. Nós não acreditamos mais em paquera

Vamos dizer que Martin vai até um clube. Martin conhece Anthony, eles dançam, eles se divertem e eles trocam algumas frases. Duas coisas provavelmente vão acontecer: ou eles vão trocar seus números de telefone e ficar depois, ou eles vão para um lugar e ficar ali mesmo.

Então, eles vão ter algumas relações sexuais e vários dias depois serão considerados um casal. Algumas semanas depois eles terminam e rapidamente Martin está de volta ao clube.

Pode ser que para algumas pessoas eles não estiveram realmente em uma relação e estavam conscientes disso, então eles não queriam se comprometer, apenas queriam pegação mesmo (como na maioria desses perfis do Grindr, PR e todos aqueles aplicativos gays).

A questão aqui é que se você está procurando por um relacionamento, a primeira coisa que você precisa fazer é conhecer bem a outra pessoa. Esse momento de paquera é como uma entrevista para um emprego.

Você precisa saber com quem está lidando e ser honesto em quem você é. Frequentemente homens fingem ser diferentes do que são para com quem tem interesse, mas isso nunca dá certo, até porque não dá para bancar um personagem o tempo todo.

Falar sobre sexo nas primeiras conversas pode até ser precipitado, talvez o ideal seja ir mais devagar e conhecer melhor os interesses do outro, assim como seus amigos e familiares.

Se der, evite partir logo só para o lado sexual. Eu sei que é difícil para alguém que tem uma alta energia sexual, mas acredite, se a pessoa valer a pena, o sexo provavelmente vai ser incrível mesmo.

Você não precisa transar com todo cara que você encontrar, se rolar, tudo bem, mas se estiver procurando algo mais a longo prazo, que tal experimentar conhecer mais a pessoa, bem no clima de paquera e conquista mesmo?

Às vezes, o que vem fácil demais pode ser abandonado fácil demais também. Nesse sentido, evite procurar pelo amor da sua vida em clubes e boates onde o clima favorece o passageiro.

Eu entendo que muita gente pode acreditar que são nesses lugares que se reúnem todos os gays, mas você pode encontrar alguém especial em qualquer lugar: na igreja, na padaria, no seu bairro, escola, academia e etc.

Para isso saia de casa e tenha uma vida repleta de atividades que te deem prazer, além da boate, pois assim provavelmente será mais fácil encontrar alguém com mais interesses em comum contigo do que frequentar aquele lugar com o som tão alto que você nem conseguiu ouvir o nome do cara que está beijando.

2. É tudo sobre você e nada sobre nós

Para alguns, nós costumamos ser solitários e independentes. Costumamos sair muito e não nos preocuparmos com aquele alguém especial em casa. A questão é: quando você está em um relacionamento, não se trata mais só de você.

Em relações saudáveis, você pode ter muito romance a dois, mas mesmo assim se divertir na companhia de amigos. A chave é você saber gerenciar seus relacionamentos, com a família, amigos e mesmo com seu parceiro.

Converse com seu afeto e permita que ambos tenham suas vidas fora da relação amorosa, mas sempre deixe o canal de comunicação aberto e sejam sempre honestos um com o outro.

3. A grama do vizinho é sempre mais verde (ou, sempre há muitos peixes no oceano)

Esse é um dos grandes problemas de homens gays, pensar que a grama é sempre mais verde do outro lado.

Imagine que você está com Marcio há algum tempo e agora aquela fase de lua-de-mel está passando. Você olha para o Jonathan e aparentemente tudo parece estar indo super bem com ele: casa bacana, bom emprego, carro do ano, sempre nos lugares mais badalados e novos, mas o que você não vê é que ele está com a conta no negativo, devendo o cartão de crédito e ainda corre o risco de ser despejado.

Encantado só com a parte visível, você trai Marcio com o Jonathan, e nós sabemos bem no que isso vai dar. Então, não deixe que uma fachada bonita te faça abandonar algo bacana que você pode estar construindo.

Também sabemos que nem todas as nossas relações são para sempre. Algumas pessoas entram na sua vida por uma razão, por um período e depois simplesmente devem seguir seus caminhos.

Aprenda a ver essas diferenças e a seguir em frente quando esse momento chegar. Provavelmente você vai se machucar, mas continue seu caminho para frente e não se apegue tanto ao passado.

4. Às vezes queremos demais, mas não oferecemos o mesmo em retorno

Você idealiza um cara com um bom emprego, mas você não consegue se manter em nenhum lugar por mais de duas semanas. Você quer um cara com um carro zero, mas você mal paga a passagem do ônibus. Você quer alguém que não minta ou traia, mas todos os seus relacionamentos terminaram porque você fez isso.

Quando fala de seu homem ideal, diz que ele tem que ser rico, malhado, bem-dotado, masculino e bem mais alto que você. E aí você se pergunta por que ainda não conseguiu ter alguém na sua vida por mais que alguns encontros?

É difícil você conseguir aquilo que você nem está perto de ter. Se você quer um cara nesses moldes, tudo bem, mas você precisa ser capaz de se adequar ao que está pedindo.

Com isso, não estou dizendo que você deva querer qualquer um ou esperar por menos do que merece, mas imagine se você fosse um pretende a ficar contigo, você estaria dentro do modelo de super-homem que às vezes criamos?

Evite criar ilusões com príncipes encantados e conviva com a realidade de sermos seres humanos. Você pode ser muito feliz com alguém bem diferente do que idealiza, caso você se permita.

Para isso, seja mais profundo com as aspirações que você cria para seu possível parceiro. Quais são seus sonhos? Ele está caminhando para realiza-los? Como é o humor dele? Como ele trata as pessoas ao redor dele: seus pais, amigos, colegas de trabalho e até mesmo os funcionários dos estabelecimentos que ele frequenta?

Descubra os valores morais e padrões de comportamento que ele tem, isso te dirá muitas coisas, até mesmo indícios de como ele vai te tratar.

5. Você nem se conhece (ou primeiro ame quem você é)

Antes de você sequer pensar em ter um relacionamento, você precisa se conhecer bem. Esteja confortável com quem você é, sendo você mesmo.

Cada um de nós tem suas preferências de estilo, mas não há nada mais sexy do que um homem que consegue se bancar (emocionalmente) e é autoconfiante.

Quando você compreender quem você é, aprenda a se amar e respeitar. Como RuPaul diz: “Se você não ama a si mesmo, como diabos alguém vai te amar?”

A verdade é que nenhum homem na terra pode amar você mais ou melhor do que você mesmo. Comece se olhando no espelho, se há algo que você não gosta e deseja mudar, mude! Aceite o que você não pode alterar em si mesmo e aprenda a diferença entre essas duas coisas.

Diga a você mesmo que você se ama e que é o principal responsável pela sua felicidade. Leve você mesmo para um passeio e cuide de seus interesses. Seja bom consigo e quando você encontrar um bom homem, trate-o como você trata a si mesmo.

O melhor conselho para encontrar um bom relacionamento é não procurar por ele. Viva sua vida de forma prazerosa e quando a hora chegar, a pessoa certa virá até você da forma mais inesperada.

Sabemos que existem milhões de razões porque relacionamentos gays não duram. Homossexuais lutam muito para nutrirem seus relacionamentos em uma sociedade que ainda não oferece suportes, exemplos e valores que os casais heterossexuais tem de forma abundante.

Existem problemas internos e externos a serem enfrentados por casais de mesmo sexo que desejam construir uma vida juntos, muitos deles nunca enfrentados por casais de sexos diferentes, alguns deles inclusive em nível subconsciente.

Como exemplos palpáveis podemos citar:

Questões que impedem esses casais de adotarem filhos
Sentimentos conflituosos por causa de crenças religiosas
Problemas familiares em aceitar a homossexualidade do indivíduo
Pouca visibilidade de relacionamentos homoafetivos duradouros
Autossabotagem criada por anos enfrentando certos estigmas sociais contra a sua orientação sexual

Mesmo assim, sabemos que existem diversas relações homoafetivas que sobrevivem mais tempo que alguns relacionamentos heteroafetivos.

E mesmo esses casos não sendo tão divulgados, podemos afirmar com certeza que é possível encontrar aquela pessoa especial para se construir uma relação saudável e feliz.

Acima de tudo, acredite sempre no amor e seja perseverante.

E nos mais continuemos firmes e fortes.

Referências
Ian Galsim; Story of my life Tumblr; Pinterest; Pilts DeviantArt;

Deixe uma resposta