2015 – Semana 20: Do amor de mãe vindo de dois pais ao depoimento emocionante de Luisa Marilac

0
8
views

Olá amigos,

Começo as notícias dessa semana com uma mensagem publicitária muito bonita, de que o amor de mãe por ser doado por quem se dispõe a doa-lo, independente do sexo.

Dentre os demais assuntos abordados está o pedido de perdão aos gays de Mara Maravilha, o casamento do primeiro-ministro de Luxemburgo, Xavier Bettel, a mudança da lei para que gays possam doar sangue nos EUA, dentre outros.

E termino com o depoimento da Luisa Marilac falando sobre a perca de suas amigas. É um vídeo para ser assistido do começo ao fim e todos nós temos que fazer uma reflexão, pois o problema da transfobia é um problema da sociedade. Portanto, de todos nós.

 

DIAS DAS MÃES DA GOL

Para comemorar o dia das mães a companhia aérea GOL resolver contar histórias de amor entre mães e filhos.

Mas incluso nos vídeos também está a história de Gilberto e Rodrigo que adotou Henrique de quatro anos que havia sido rejeitado por outras famílias por ser negro demais, conforme noticiamos aqui no Chilliwiki.

Eles que são pais, mas que também são mães sabem se dividir entre as tarefas de pai e de mãe.

Parabéns a GOL que está preparada para a nova realidade de família no Brasil e no mundo.

Via 

 

COM MENOS PATROCÍNIO, PARADA GAY VENDE INGRESSO EM TRIO ELÉTRICO OFICIAL.

Pela primeira vez, a organização da Parada Gay de São Paulo está vendendo pulseiras aos interessados em desfilar sobre um trio elétrico oficial, com direito a open bar. Em um ano de patrocínios mais escassos, reflexo da crise econômica, essa é uma das estratégias para conseguir mais verbas. A novidade, porém, realimenta a crítica de que o evento se aproxima mais de um carnaval fora de época do que de um ato político.

Serão cem ingressos para o trio oficial, um dos que ficará mais tempo na Avenida Paulista no próximo dia 7, data da Parada. A pulseira, já à venda na internet, dá direito a desfilar em cima do carro e beber cerveja, refrigerante e água à vontade. O preço é R$ 340, o que motivou protestos nas redes sociais.

Nas edições anteriores, já havia cobrança de ingressos em alguns trios elétricos, mas é a primeira vez que o formato é adotado pela própria organizadora, a Associação da Parada do Orgulho LGBT. Dos trios chamados “comerciais”, porém, a entidade cobra uma taxa, que pode ser superior a R$ 10 mil.

“Como tem muita procura de pessoas que querem participar em cima do trio, tivemos essa iniciativa”, explica Fernando Quaresma, presidente da entidade. A medida também é uma alternativa para arrecadar recursos. “Com a crise, diminuiu o dinheiro para todo mundo. É questão de sobrevivência.”

A Prefeitura cobre os gastos com toda a estrutura da Parada, o show de encerramento e a Marcha das Lésbicas, que ocorre no dia anterior – com custo global de R$ 1,3 milhão. Por restrições orçamentárias, em 2015, a Prefeitura não bancará a feira cultural do evento, que quase foi cancelada. Segundo Quaresma, haverá verba do governo estadual para a feira, prevista para o dia 4 no Vale do Anhangabaú.

A Petrobras, patrocinadora em outros anos, reduziu em 10% o repasse, afirma Quaresma. Procurada ontem, a estatal não se manifestou. Já a Caixa Econômica Federal, outra patrocinadora, não respondeu à associação se enviará verbas. O banco informou que ainda não há definição sobre o assunto.

Normas

A Secretaria Municipal de Direitos Humanos, parceira da associação na Parada, informou que não sabia da venda de pulseiras pela entidade. “Se for em trio elétrico cedido pela Prefeitura, não pode”, destaca o coordenador de Políticas para LGBT da pasta, Alessandro Melchior. A administração municipal cedeu seis trios à Parada – dois à associação. “A Prefeitura banca tudo de estrutura de evento. Não é necessária coleta de recursos para isso.”

A Secretaria ainda disse que vai verificar se o trio oficial não infringe nenhuma regra. Ressaltou também que a distribuição de bebidas nos trios deve seguir normas de vigilância sanitária.

De acordo com Quaresma, o trio oficial será alugado. O dinheiro, diz ele, ajuda em várias atividades. “A associação não existe só na Parada, mas nos outros 364 dias do ano”, afirma.

Quaresma também rebate as críticas de que a Parada Gay está mais parecida com uma micareta. “É uma festa, mas também um movimento que reivindica direitos.”

Via

 

“DEFENDO AS VÍTIMAS, NEGROS, GAYS E CRENTES”

O coronel Paulo Adriano Telhada, de 63 anos, é o primeiro ex-integrante das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) a ocupar uma cadeira na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de São Paulo. Ontem, ele defendeu sua escolha.

Essa é uma comissão em que vou começar a trabalhar. Como bom militar, vou ouvir e aprender. Estou em quatro comissões e nas Frentes Parlamentares de Segurança, Evangélica e Ferroviária. Vim aqui para trabalhar.

Quem vai presidir a comissão será o Carlos Bezerra Junior. Ele é uma das pessoas mais preocupadas com a minha ida para lá. Não sei por quê. Em vez de estar feliz, está assustado. Não sei se está com medo de perder espaço ou de que eu vá tumultuar. O que quero é trazer uma face nova à Assembleia na parte dos direitos humanos, porque a população, mais do que nunca, precisa de direitos humanos. Temos várias vítimas diárias no Estado que não recebem o devido apoio do governo. A Comissão é para isso: garantir esses direitos.

Não há nenhum tema impedido ou que me incomode. Casamento gay, por exemplo, tenho no meu gabinete pessoas com essa opção. Tenho um projeto que pune a discriminação de raça, sexo, cor, religião, origem, etnia, deficiência, doença ou orientação sexual no comércio. Por exemplo: você é gay e não pode entrar ali. Há discriminação religiosa: o cara é macumbeiro ou crente e não pode ficar ali. A turma está confundindo: os policiais são os principais defensores dos direitos humanos“.

Via

 

MARA MARAVILHA PEDE PERDÃO AO PÚBLICO GAY DURANTE SHOW

Com o carinho do público ao cantar em uma boate gay no último final de semana. Ela subiu ao palco para relembrar sucessos dos anos 80, como Liga Pra Mim e Não Faz Mal. Após os boatos de que seria homofóbica por causa da repercussão de algumas declarações há dois anos, ela fez questão de esclarecer novamente a sua opinião e pediu perdão aos fãs homossexuais.

Nunca tive nenhuma intenção de desrespeitar e magoar ninguém, mas se de alguma forma alguém se sentiu ofendido, peço perdão”, afirmou ela, que concluiu: “Me disseram que não era para eu vir aqui, que vocês não me amavam, mas mesmo estando há 3 dias com uma forte gripe, que quase me impediu de vir, estou aqui porque tenho convicção que da minha parte nunca houve nenhum preconceito, porque o meu Deus se chama amor”.

Em 2013, Mara ficou no meio de uma polêmica depois de entrevista no programa Morning Show, em que disse ser a favor do projeto de lei que autoriza psicólogos a tratarem a homossexualidade como doença, a chamada ‘cura gay’.

No entanto, ela disse sua declaração não foi entendida na época.

Estou sendo mal interpretada! Nunca disse que gay é aberração! Não levanto nenhuma bandeira política oportunista. Em todas estas calúnias contra mim, o que vai prevalecer é a minha conduta de respeito e amor ao próximo, sem fazer acepção de pessoas. Aberração é a falta de democracia e liberdade de expressão. Bullying é aberração. Não vou me intimidar, continuo contando com o bom senso e a inteligência de todos independente de suas escolhas sexuais, religiosas e políticas. No demais Vai Tudo Bem, e não pretendo comentar mais sobre o assunto. Porque o justo não se justifica”, contou, na época.

Via

 

NÃO SE DEVE HETEROSSEXUALIZAR A HOMOSSEXUALIDADE

O advogado Luiz Edson Fachin, indicado para o Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu nesta terça-feira que os homossexuais devem ter acesso aos direitos civis, mas opinou que “não se deve heterossexualizar a homossexualidade”. Na opinião dele, o casamento é um instituto pensado historicamente para heterossexuais, mas isso não significa que o Estado não deve atribuir direitos civis aos casais do mesmo sexo.

Eu sou favorável que haja lei e que, na lei, se dependesse da minha manifestação, seria favorável da atribuição de direitos civis, mas eu entendo que não se deve heterossexualizar a homossexualidade. São coisas distintas, cada uma tem sua esfera. E em relação ao casamento, foi um instituto que foi pensado e historicamente levado efeito para para a heterossexualidade”, disse, ao ser questionado por Magno Malta (PR-ES).

Via

 

BARACK OBAMA QUER QUE GAYS POSSAM DOAR SANGUE

Em plena epidemia do VIH/Sida nos Estados Unidos, a administração de Ronald Reagan implementou em 1985 uma lei que proíbe homens homossexuais ou bissexuais de doarem sangue no país. Há 30 anos que a medida tem gerado acusações de discriminação por grupos de defesa dos direitos da comunidade LGBT e desde dezembro que era esperado que Barack Obama fosse o primeiro presidente a reverter a política. O aparente início do fim começou ontem.

Com o aval da administração, a Food and Drug Administration (FDA) apresentou novas recomendações quanto a doação de sangue, que abrem a porta a doações por homossexuais e bissexuais do sexo masculino – com a ressalva de que homens que tenham tido sexo com outros homens nos 12 meses anteriores à data da recolha não poderão doar. O caso é diferente em países como Espanha, Chile, Itália, México e até a Rússia, onde não são impostas restrições a homens gays ou bissexuais, independentemente de estarem ou não abstinentes por determinados períodos de tempo.

Via

 

QUASE METADE DOS BRASILEIROS É CONTRA CASAMENTO GAY

Quase metade dos brasileiros é contra a união entre pessoas do mesmo sexo, segundo pesquisa realizada pela Hello Research, agência de pesquisa de mercado e inteligência.

De acordo com o levantamento, 21% declararam ser indiferentes ao tema e 30% totalmente a favor do casamento gay. O estudo ouviu cerca de mil pessoas com mais de 16 anos e de diferentes classes sociais de 70 cidades do país.

As classes sociais D e E são, segundo a pesquisa, as que se mostraram menos favoráveis ao assunto. Já as regiões do país em que a união civil homoafetiva é menos aceita são Nordeste, Norte e Centro-Oeste.

“Podemos observar que quanto menor a classe social e o acesso à informação, maior a resistência em apoiar o casamento entre pessoas do mesmo sexo”, afirmou Davi Bertoncello, diretor executivo da Hello Research, em nota.

Para ele, pesquisas como esta ajudam a entender melhor o pensamento do brasileiro e servem para orientar medidas educacionais e sociais para modificar comportamentos e culturas.

Números de casamentos gays no país

Segundo dados divulgados pelo IBGE, mais de 3.700 casamentos entre pessoas do mesmo sexo foram realizados no Brasil em 2013.

São Paulo foi o estado com o maior número de uniões homoafetivas. No período, 1.945 casamentos foram realizados, sendo 897 entre homens e 1.048 entre mulheres.

Já o Acre foi o estado que registrou menos uniões desse tipo, com apenas um casamento entre homens e nenhum entre mulheres.

Via

 

PREMIÊ DE LUXEMBURGO É PRIMEIRO LÍDER GAY DA UE A SE CASAR

O primeiro-ministro de Luxemburgo, Xavier Bettel, liberal, casou com seu parceiro, tornando-se o primeiro líder da União Europeia (UE) a se unir legalmente com uma pessoa do mesmo sexo.

O premiê, de 42 anos, havia anunciado em agosto de 2014 a intenção de se casar com Gauthier Destenay, um arquiteto belga com quem estava unido por contrato de união civil desde 2010.

Me pediu e eu disse que sim“, declarou ao Los Angeles Times.

A cerimônia civil ocorreu na prefeitura da capital de Luxemburgo e foi presidida por Lydie Polfer, prefeita da capital do Grão-Ducado e madrinha política de Xavier Bettel.

Obrigado a todos os luxemburgueses“, disse Bettel depois de receber junto ao marido uma chuva de arroz.
O primeiro-ministro belga, Charles Michel, que estava entre os convidados, disse que assistiu ao casamento de um colega, acrescentando que era um grande momento para Bettel.

Luxemburgo está passando a imagem de um país avançado em temas sociais. É uma mensagem enviada num momento em que a homofobia aumenta na Europa“, acrescentou outro amigo do casal, o jornalista franco-luxemburguês Stéphane Bern.

O casamento homossexual foi aprovado pelo Parlamento de Luxemburgo em junho de 2014 e o primeiro casamento ocorreu em 1º de janeiro de 2015.

Embora o casal quisesse ser discreto, o casamento do jovem primeiro-ministro é considerado uma “mensagem bonita, um sinal” da evolução da sociedade de Luxemburgo, um país católico, comentou Bernard Baumgarten, diretor do centro de criação coreográfica de Luxemburgo à RTBF, a televisão pública belga.

Bettel foi nomeado chefe de Governo no fim de 2013, após 18 anos de “reinado” de Jean-Claude Juncker, líder do partido social-cristão, no poder de forma quase ininterrupta desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

O primeiro-ministro governa em aliança com outros dois partidos laicos, os socialistas e os verdes.

Xavier Bettel é o primeiro chefe de Governo homossexual que se casa na UE, mas não na Europa.

A primeira-ministra islandesa Johanna Sigurdardottir, no poder desde 2009, se casou com sua esposa em 2010, mas a Islândia não integra a UE.

O casal adiou sua lua-de-mel por causa da agenda política agitada de Bettel, que inclui Luxemburgo assumir a presidência rotativa da UE no dia 1º de julho.

Via

 

MINISTRO DA COLÔMBIA ESTÁ DETERMINADO A APROVAR CASAMENTO GAY NO PAÍS

Juan Fernando Cristo, ministro do Interior da Colômbia, está determinado a aprovar a união entre pessoas do mesmo sexo em seu país.

Ele afirma que o maior partido político colombiano, que é de esquerda, tem a intenção de legalizar esse direito em breve.

“O governo apóia a luta pela igualdade e vamos adotar medidas que assegurem os direitos do casamento igualitário para todos”, disse Cristo, na Universidade dos Andes, em Bogotá.

Via

 

MOTORISTA DO APLICATIVO UBER É SUSPENSO APÓS DISCRIMINAR CASAL GAY

Um casal gay de Londres foi expulso pelo motorista de um carro contatado pelo Uber depois que ele notou a orientação sexual de ambos.

“Meu amigo e eu estávamos de mãos dadas e eu me inclinei para beijá-lo”, contou Neil Shah ao site Pink News. “O motorista disse ‘Nada de gays, nada de beijos’, parou o carro e nos disse para sair. Nós ficamos chocados, mas saímos do carro.”

Os dois entraram em contato com o aplicativo e o motorista foi banido. A empresa informa que não tolera qualquer tipo de discriminação no Uber.

Via

 

ELTON JOHN DIZ QUE SEU PAI NUNCA ASSISTIU A UM DE SEUS SHOWS POR HOMOFOBIA

Elton John comentou sobre a relação que teve com seu pai após assistir ao musical “Billy Elliott”, em Londres, sobre um adolescente que precisa enfrentar o preconceito do pai e do irmão para seguir seu destino, o balé.

Meu pai viveu para conhecer um pouco do meu sucesso, mas ele nunca chegou a ver sequer um dos meus shows. O momento em que o pai de Billy o vê atuar e vê o coração de seu filho batendo pela primeira vez, ele entende o que seu filho vai conquistar, algo que nunca aconteceu comigo”, disse o artista ao jornal “The Times”.

Meu pai foi ‘selado’ do meu talento e eu nunca soube o porquê. Foi a homofobia? Seria medo? Essa foi uma perda dolorosa para mim. Mas também foi uma perda dolorosa, eu acho, para o meu pai. Isso é o que o preconceito faz com as pessoas. Ele as corta de fontes de alegria, de amizade, bondade e amor. Faz todo o mundo um pouco mais frio”, comentou.

Elton também fez uma comparação com a época de sua infância. “É estranho para mim ser parte de um show como este, porque você tem que lembrar quando era uma criança crescendo na década de 1950, lentamente percebendo que eu era gay, era literalmente um crime. Um musical como este teria sido considerado como ‘pervertido’ e censurado fora do palco”, concluiu.

Via

 

PROJETO DEFENDE INCENTIVOS FISCAIS PARA EMPRESAS QUE EMPREGAREM TRAVESTIS E TRANSEXUAIS

Na semana passada noticiamos o projeto aprovado em Fortaleza de incentivo fiscal para empresas que empregam transexuais e travestis.

Nessa semana encontramos a matéria sobre o projeto da deputada Flora Izabel (PT) do Piauí que também dá incentivo fiscal a empresas que destinarem 5% de suas vagas a pessoas trans.

A deputada justificou ao afirmar que, dessa forma, busca garantir os direitos da igualdade, liberdade e autonomia individual como forma de imposição política e a promoção da cidadania, com respeito às diferenças e o reconhecimento da identidade de gênero no que diz respeito a aparência física, da identidade social e das livres escolhas.

Conforme dados da ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais) hoje, mais de 90% dessa população encontra-se no trabalho informal ou no mercado da prostituição. A baixa empregabilidade desse grupo social, revela a dificuldade de aceitação dos empregadores em todo o país.

Via

 

LUISA MARILAC DESABAFA SOBRE TRANSFOBIA E CONTA HISTÓRIAS DE AMIGAS ASSASSINADAS

Via

 

E continuemos esperando por dias melhores, para sempre!

Abraços, Sam.

Deixe uma resposta