Amor de cowboy, um conto gay erótico

0
10
views
Amor de cowboy

1

Saindo do banho vesti meu calção branco e a regata preta que ele me deu; fiz de propósito, porque sabia que ele gostava. O calção estava meio batido, eu o usava para jogar futebol, mas já fazia tempo que eu não jogava e tinha ganhado mais corpo desde então, logo o calção estava meio apertado.

O dia tinha sido bem puxado, muito trabalho na fazenda sob um céu ardente que só não foi pior graças ao meu velho e eficiente chapéu. Às vezes eu queria que a vida no campo fosse como as pessoas imaginam, porque eu mesmo não carregava todo o brilho de ser cowboy que via pela Internet.

Liguei o computador mais velho que meu chapéu na torcida para que a conexão ficasse estável por algum tempo. Desde que ele tinha ido estudar na capital nossas conversas ficavam sempre para aquele horário.

No começo era por webcam, e era bom, mas minha conexão ficou lenta, a câmera dele quebrou e agora estávamos no bate-papo escrito mesmo, pelo menos por enquanto.

Eu sentia uma falta enorme dele, mas não falava nada, não queria ser mais uma coisa para ele lidar enquanto estava na faculdade. No fundo eu tinha medo que ele se apaixonasse por um desses boizinhos da cidade e não voltasse mais.

Quando finalmente consegui ligar o computador, ele já estava online.

2

Arthur.P.Avelar: oi gatão… que saudades de você!

pedro-souza: oi, também to com saudade

Arthur.P.Avelar: Como foi seu dia?

pedro-souza: puta trampo, né… correndo muito por aqui, to até meio queimado de sol

Arthur.P.Avelar:  jura?! que chatooouuu… eu também estou na correria aqui na faculdade, queria tanto poder deitar no teu peito agora!

pedro-souza: nem brinca meu… pow, maior tempão sem te ver

Arthur.P.Avelar:  verdade mozão. Sabe que noite passada eu até sonhei contigo

pedro-souza: sério? sonho bom ou ruim?

Arthur.P.Avelar:  com você é sempre bom! sonhei com nós dois fazendo amor

pedro-souza: trepando?

Arthur.P.Avelar:  é… trepando

pedro-souza: ah tah, essas frescuradas de fazer amor não é comigo não

Arthur.P.Avelar:  rs, eu bem sei! você está sozinho?

pedro-souza: estou

Arthur.P.Avelar:  humm… o que você está vestindo?

pedro-souza: meu calção do Batata futebol clube, aquela regata preta que você me deu e estou sem cueca, você sabe que eu gosto do bicho solto

Arthur.P.Avelar:  nossa, que delicia! você sabe o quanto eu fico doido com você assim

pedro-souza: ué, vem aqui que eu até deixo você passar a mão

Arthur.P.Avelar:  ahhhh! Que puta maldade essa sua! e ainda me fazer te imaginar nessa roupa apertada, com esse shortinho que mostra essas suas coxas deliciosas…

pedro-souza: e você? está usando o que?

Arthur.P.Avelar:  estou só de bermuda e ela já babada, rs

pedro-souza: e sua bundinha, continua linda e redondinha como eu deixei?

Arthur.P.Avelar:  sim seu canalha, eu malho todo dia com foco na bunda só por sua causa…

pedro-souza: é assim que eu gosto, rs

Arthur.P.Avelar:  eu sei agradar meu homem

pedro-souza: ah é, e o que você vai fazer para me agradar quando estiver de volta?

Arthur.P.Avelar:  bom…

vou começar beijando essa sua boca linda, ai vou arrancar essa regata que marca seu corpo delicioso e então vou lamber seu peito inteiro

vou segurar seu pau com força e morder ele por cima desse seu calção branco

e então vou tirar ele de dentro do short e enfiar ele inteiro na minha boca, até a garganta

e ai vou babar nele todo

pedro-souza: nossa, to ficando até melado aqui

Arthur.P.Avelar:  aí eu vou arrancar seu short para poder lamber suas bolas e vou chupar elas enquanto bato uma punheta bem gostosa para você

pedro-souza:  nossa, que garotinho levado! você sabe que eu vou ter que te dar uma surra de pau depois disso né?

Arthur.P.Avelar:  eu sei, eu quero… eu quero tudo.

Você está mexendo nele agora?

pedro-souza: estou… to apertando ele aqui, o bicho tá doido por você

Arthur.P.Avelar:  e eu por ele… você já tirou sua camiseta?

pedro-souza: ainda não

Arthur.P.Avelar:  então tira ela

pedro-souza: tirei… esfreguei a mão no meu peito e apertei ele com força, do jeito que você faz

Arthur.P.Avelar:  que delícia!

pedro-souza: desci a mão pela minha barriga até ele e balancei ele com força

Arthur.P.Avelar:  uau… tira seu calção, deixa ele solto

pedro-souza: tirei, estou pelado agora… meu pau está duro para caralho e babando lembrando do seu rabinho apertado

Arthur.P.Avelar:  tirei minha bermuda também e brinquei com meu rabo lembrando do seu toque…

pedro-souza: então aperta esse seu cuzinho com força que eu sei que ele gosta

Arthur.P.Avelar:  eu apertei, mas ele quer você! coloquei meu dedo dentro dele e senti ele tremer de saudade do seu pau

pedro-souza: pois saiba que tem um pau aqui tremendo por ele também!

tô batendo uma punheta bem gostosa em sua homenagem

Arthur.P.Avelar:  mexe no seu saco, brinca com as bolas…

pedro-souza: puxei meu saco com força, mas as bolas estão com saudades dessa sua boquinha macia

Arthur.P.Avelar:  e estou com saudades delas, de poder ter elas na minha boca, lamber elas e chupar esse seu pau grosso

pedro-souza: eu quero foder você de novo, lamber seu cuzinho apertado, enfiar meu pau com força dentro dele e te fazer gemer gostoso

Arthur.P.Avelar:  e eu quero sentir você dentro de mim, me comendo com violência e me batendo com força do jeito que só você sabe fazer

pedro-souza: ah é… eu vou te por de quatro aqui e segurar você pelo cabelo e meter com vontade até você gritar de prazer

Arthur.P.Avelar:  e eu vou rebolar no seu caralho para te deixar doidinho

pedro-souza: e eu vou dar uma tapas nessa sua bundinha redonda e encher de beijos essa sua boquinha comportada

ai vou morder seu pescocinho, seu ombro e suas orelhas só para ouvir seus gemidinhos de dor e prazer

Arthur.P.Avelar: eu vou gemer gostoso e pedir mais

pedro-souza: eu vou bater força nesse seu rabinho empinado e vou falar no seu ouvido que você é meu viadinho e que eu sou seu homem, seu dono, seu macho

Arthur.P.Avelar: que merda, eu to ficando maluco aqui

pedro-souza: eu vou enfiar sem dó, bem rápido e bem fundo…

fala para mim que você vai rebolar no meu pau como uma cadelinha obediente

Arthur.P.Avelar: eu vou rebolar bem gostoso e engolir sua pica com minha bunda e vou implorar para você me comer mais e mais

pedro-souza:  eu vou comer você bem gostosinho, te foder com gosto, te mostrar quem é seu macho

vou esfolar seu rabinho com minha pica até você se arrepiar inteiro

enquanto isso vou apertar seus peitinhos com força, primeiro pegar neles por inteiro, depois apertar só sua tetinha safada

Arthur.P.Avelar: aiii

pedro-souza: ai eu vou lamber sua orelha e bater uma punheta para você enquanto te esfolo com gosto

Arthur.P.Avelar: que tesão filha da puta!

pedro-souza: você tá batendo uma punhetinha bem gostosa?

Arthur.P.Avelar: to, nem consigo escrever direito

pedro-souza: então mela sua mãozinha de porra para mim

Arthur.P.Avelar: seu filha da puta, você sabe o que faz

pedro-souza:  que delicia, xinga mais meu principezinho comportado

Arthur.P.Avelar:  nossa, até pude te ouvir agora… só você me chama assim, vou ter que bater uma punheta logo, se alguém chega aqui, to ferrado!

pedro-souza:  então derrama seu leitinho ai que eu vou derramar o meu aqui por você… aliás, você deveria vir aqui lamber ele todinho

Eu me masturbei com força pensando nele em seu quarto fazendo o mesmo, em pouco tempo eu senti meu leite quente e grosso cair sobre minha barriga e me melar todo. Fiquei um tempo parado recuperando minhas forças.

Fechei meus olhos sentindo um leve aperto no peito por não ter ele ali deitado sobre mim e rindo seu risinho gostoso, como sempre fazia depois de treparmos.

Um bip me trouxe de volta à realidade, era mais uma mensagem dele. Olhei para minha mão melada e procurei limpá-la com a regata preta para poder respondê-lo e continuarmos nosso bate-papo.

3

Arthur.P.Avelar: eu to melado de porra, to ofegante, mas acima de tudo eu to muito puto de não estar ai ao seu lado agora

pedro-souza: Eu também sinto sua falta, mas eu sei que você está fazendo isso pelo seu futuro, é importante para você

Arthur.P.Avelar: Eu quero se dane tudo isso Pedro, eu não sei se consigo ficar mais tempo longe de você

pedro-souza: Eu estaria mentindo se dissesse que não gostaria de ter você aqui entre meus braços para poder te fazer um carinho gostoso, mas não posso dizer para você vir, essa decisão só sua

mas independente do que você fizer, você sabe que eu vou sempre estar do seu lado.

*Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, factos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.

**Imagem meramente ilustrativa.

Licença Creative Commons
Esta obra em Chilliwiki, foi licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.

Deixe uma resposta