Amor gay na juventude é explorado no curta A Linguagem do Amor

0
9
views
O amor gay na juventude

O amor gay na juventude pode ser bem complicado.

Mesmo isso costumando ser difícil para maioria de nós, entre os gays, principalmente, isso pode ser devastador e em uma fase bem complicada.

A adolescência já é carregada de dúvidas, problemas e batalhas, mas imagine associar isso ao fato de que muitos de nós nos apaixonamos por um garoto (provavelmente um amigo), que normalmente não é assumido ou mesmo não é gay.

Essa confusão é o tema do curta “A Linguagem do Amor”, no qual um jovem relata seu amor por um amigo.

O vídeo australiano tem como ator principal Kim Ho, que também escreveu o roteiro. A delicadeza e situação passada pelo personagem principal me fez viajar em algumas das minhas histórias de amor juvenil.

Tomei a liberdade de transcrever uma tradução bem amadora abaixo do vídeo, na verdade é mais uma interpretação pessoal do que uma tradução literal, mas espero que seja útil.

No mais, aproveite mais essa pequena obra sobre o amor gay.

A linguagem do amor (áudio traduzido):

Tarefa escrita B: Descreva seu melhor amigo.

Ai meu Deus, isso de novo não.

Quais qualidades você admira nele? Atividades favoritas blah blah passatempo… carta?

Escreva sua resposta como uma carta para seu amigo, em francês.

Bem, que merda.

E esse exame estava indo tão bem até agora.

Eu nunca sei o que devo escrever para essas perguntas.  Quer dizer, eu devo inventar um amigo ou devo falar sobre o Sam?

Eu até posso aplicar corretamente a gramática, mas me expressar é a parte mais difícil.

Eu nunca vou ser fluente.

Quer dizer, o objetivo era: falar francês como um francês.

Bem, na verdade o objetivo era pegar algumas gatinhas soando como um francês, mas isso ainda não funcionou.

Francês não é igual matemática, não tem somente uma única resposta certa.

Tipo, mesmo que você aprenda todas as palavras no dicionário, não significa que você vai saber falar a língua.

Um grupo inteiro de garotos foi para a França em um intercâmbio, embora aparentemente foi mais como um festival sem paradas contando carneirinhos.

É isso?

Travesseiros ditando seu caminho para a fluência no idioma?

E todas essas armadilhas? Como a palavra ‘baiser’ que pode significar ‘beijar’ ou ‘trepar’, a diferença depende só do contexto.  

Quer dizer, quem faria isso?

Eu até posso imaginar alguém, um francês triste, pensando em como tornar isso mais difícil… para pessoas como eu.

Sam e eu fazemos tudo juntos. Comemos. Mijamos. Zoamos em francês.

Nós também roubamos todos os marcadores de quadro branco quando o professor se atrasa.

Nós nos sentaríamos juntos também, mas o Monsieur Edgerton gosta que sentemos em ordem alfabética, então Sam foi colocado bem à minha frente.

Isso é meio chato, a cabeça dele bloqueando minha visão o tempo todo, especialmente nas sextas à tarde quando assistimos a um filme – aparentemente todos os filmes franceses são chamados de ‘films’.

Algumas vezes eu o cutuco no ombro e quando ele vira, eu o acerto com uma borracha, mas ultimamente eu não tenho feito isso.

Os pais dele estão se divorciando e ele tem vindo para a escola meio tristonho, entende?

Tipo, ele sorri e tudo, mas dá para ver nos olhos dele, ele está muito machucado por dentro.

Na sala ele parou de se virar, ele apenas se senta, todo debruçado e fica inquieto mexendo em seu estojo de lápis.

Tem sido um ano de merda para ele.

Ele queria entrar como um dos primeiros no Basketball, mas eles o rebaixaram porque ele ficou um pouco ‘distante’.

Quando eu o questionei sobre isso ele apenas me cutucou no braço com a chave de seu armário.

Eu não tenho essas grandes aspirações, eu am… Eu quero ser um bibliotecário-chefe.

Eu pensei nisso porque sou capaz de organizar livros melhor que os professores, claro que eu ainda não tive acesso aos livros que falam sexo, ‘O Kama Sutra – Um Guia Ilustrado’.

‘Evitando Gonorreia para Idiotas’.

Gonorreia. Soa como o nome de Shakespeare, não é?

Cordelia, Regan, Gonorreia.

Eu tenho um crachá também, para a biblioteca. É dourado, brilhante eu estou apaixonado pelo Sam.

Eu estou apaixonado pelo meu melhor amigo.

Não sei como aconteceu… apenas em algum momento enquanto eu ouvia seus segredos e via como ele estava machucado, eu percebi o quanto eu preocupo com ele.

Eu quero abraçar ele, dizer que tudo vai ficar bem.

[ofegando]

Que merda está acontecendo comigo?

Tipo, meu coração bate mais rápido quando ele está por perto e eu não consigo pensar em mais ninguém.

Eu não preciso disso, especialmente em um exame de francês.

Mas eu não posso parar isso. Eu não posso controlar isso.

Eu tento fazer meu trabalho, mas minha mente fica vagando e eu fico preso na aula de francês de novo e de novo.  

Sr. Edgerton passando um filme, mas eu vendo só Sam.

Eu vejo o contorno de seu rosto na silhueta projetada contra a tela do projetor e desejo ver seus olhos, tocar sua face, tocar meus lábios nos dele e isso me tranquiliza.

Eu pesquisei no Google ‘como contar para um cara que você gosta dele’, mas todos os resultados eram sobre quanto de maquiagem usar nesse momento.

Eu não teria coragem de contar para ele, quer dizer, como eu começaria?

‘Oi Sam, espero que seus pais não tenham se matado ainda. Eu sou gay, você é gay? Você por acaso não está a fim de dar uns amassos ou algo assim?’

Eu tenho medo. Eu tenho medo de pedir para ele me beijar e ele entender errado, achar que eu sou uma aberração, entende?

Não é por ele ser um garoto, ele é feliz sendo um, eu só não sei se isso torna tudo errado ou tudo mais especial.

Eu sei o que os caras diriam.

Uma vez, nos fomos à praia e estávamos lá rindo e zoando, e você sabe que muito bronzeamento causa danos às células, então eu me ofereci para passar protetor solar nas costas do Sam.

Ele apenas sorriu e disse que estava bem, mas os outros caras me zoaram muito e não me deixaram esquecer o quanto gay eu tinha sido.

‘Charlie é uma bichinha’

Mas eu não quero esquecer.

Eu não quero esquecer o Sam voltando do surf, chacoalhando a água de seu cabelo, e com um sorriso largo no rosto.

Eu desejo só o melhor para ele, eu realmente desejo; mas eu também o quero para mim. Eu quero ser o melhor para ele.

Eu estou sendo egoísta?

Ele é meu melhor amigo e significa mais para mim do qualquer nota máxima nas provas.

Talvez a melhor coisa a se fazer é deixar isso aqui dentro e esquecer tudo.

Mas eu não quero traí-lo.

Ele confia em mim, ele se abriu para mim, eu não deveria fazer o mesmo?

‘Charlie é uma bichinha’

Você sempre ouve as pessoas falando ‘estranho’ e ‘apenas não normal’, mas não é esse exatamente esse o ponto do amor? Transcender a normalidade e se tornar algo especial?

Talvez eu deva retornar para o francês, quer dizer, ‘amour’ é um substantivo masculino.

Eu tenho que mergulhar de cabeça, abrir minha boca e dizer para esse lindo garoto como eu me sinto.

Uma carta!

‘Mon cher Samuel… je t’aime’

Deixe uma resposta