Antes de nascer o mundo de Mia Couto

0
7
views
Antes de nascer o mundo
Antes de nascer o mundo
Antes de nascer o mundo

Antes de nascer o mundo do escritor moçambicano Mia Couto foi a primeira dele que li. Escolhido a dedo pela curiosidade que tive sobre a narrativa.

A história retrata uma família que adota o autoexílio em uma savana de Moçambique, por motivos só conhecidos pelo patriarca da família, Silvestre Vitalício, por tio Aproximado, morador do “outro lado” e responsável por trazer mantimentos para a família reclusa, e por Zacarias Kalash, um servo da família.

O local onde família vivia foi nomeado pelo seu patriarca como Jerusalém – título original da obra –, pois segundo ele seria o lugar onde Deus voltaria para pedir desculpas para a humanidade.

A partir desse contexto podemos acompanhar Mwanito, filho de Silvestre, e seu olhar juvenil repleto de uma curiosidade inocente, narrando os acontecimentos com ele e com o contexto que o cercava.

Assim vamos da pacata Jerusalém aos males e as delícias da vida além da savana e pouco-a-pouco vamos nos enxergando sob o olhar de descoberta de Mwanito.

Com o retrato de um mundo oscilante, vamos lendo nossa a estrutura social e suas transformações em diversos segmentos quase que descolados do nosso ponto de vista viciado, descobrindo com o jovem observador os juízos de valor para lançar sobre a “realidade”.

Assim a narrativa aborda a dor e as fugas que elas podem desencadear, as magias da vida e até os delicados fios gerenciados por governos e suas políticas.

Uma excelente companhia para expandir nossa visão e percepção sobre as pessoas e as sociedades.

Citações selecionadas

Uns nasceram para cantar, outros para dançar, outros nasceram simplesmente para serem outros. Eu nasci para estar calado. Minha única vocação é o silencio […] Escrevo bem, silêncios, no plural. Sim, porque não há um único silencio. E todo o silêncio é música em estado de gravidez” (COUTO, 2009, p. 13).

Durante muitos anos alimentei feras pensando que eram animais de estimação” (COUTO, 2009, p. 15).

[…] os falsos tristes, os maus solitários acreditam que os lamentos sobem às alturas” (COUTO, 2009, p. 18).

Um dia, Deus nos virá pedir desculpas” (COUTO, 2009, p. 20).

Velhice não é idade, é um cansaço. Quando ficamos velhos, todas as pessoas parecem iguais” (COUTO, 2009, p. 22).

Quem viveu pregado a um só chão não sabe sonhar com outros lugares” (COUTO, 2009, p. 24).

Não é segurando nas asas que se ajuda um pássaro a voar. O pássaro voa simplesmente porque o deixam ser pássaro” (COUTO, 2009, p. 52).

Que história pode ser criada sem lágrima, sem canto, sem livro e sem reza?” (COUTO, 2009, p. 54).

Referências
COUTO, Mia. Antes de Nascer o Mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

 

Deixe uma resposta