Conversas do babado com Andy Anderson

0
11
views

O barbudo entrevistado da vez é Andy Anderson, um carioca lindo que mora atualmente em Nova York.

Andy respondeu várias perguntas no grupo e separamos algumas para publicar por aqui. Claro que o papo completo e as perguntas mais picantes só estão disponíveis no grupo.

E para entrar no clima da conversa, recomendamos você ler o papo ouvindo Never forget you de Noisettes:

Como você se vê?

Andy Anderson – Eu me acho um cara normal, nerd, baixinho e que morre de vergonha quando é assediado.

Qual seu maior sonho?

Andy Anderson – Meu maior sonho é ascender como escritor.

Qual seu maior medo?

Andy Anderson – Meu maior medo é perder a criatividade.

Qual foi a pior que coisa que você já fez?

Andy Anderson – A pior coisa que eu fiz foi mentir pra mim mesmo por anos por causa do meu pai.

Você tem alguma grande frustração?

Andy Anderson – Várias. A maior delas é ter tido medo de me aventurar quando era mais jovem.

Se você fosse um personagem, quem seria e porquê?

Andy Anderson – Gostaria de ser Dorian Grey. Aliás, esse é um dos meus livros indispensáveis. Nunca envelhecer nem adoecer seria bom demais, mas Dorian pagou um alto preço (rs).

Qual estilo de música preferido? O que você tem escutado com frequência ultimamente?

Andy Anderson – Eu escuto muito pop, ultimamente ando viciado em Noisettes. Quem quiser ouvir Noisettes comece com Never forget you.

Quanto tempo você mora em NY e porque escolheu esta cidade fora do nosso país pra morar?

Andy Anderson – Bom, vim pra NYC após ser perseguido por um grupo de homofóbicos e ter ficado meio traumatizado. A segurança me atraiu mais. Aqui casei e não pretendo voltar a morar no Brasil. O que é uma pena, já que os brasileiros são os mais tesudos do mundo.

Como é ser um brasileiro morando em Nova York?

Andy Anderson – Ser Brasileiro aqui te torna exótico e atraente pra caras tipo capa de revista que você jamais pegaria no Brasil (rs).

Você tem um lugar especial que funcione como refúgio em NY nos momentos em que você quer ficar sozinho?

Andy Anderson – Sim. Eu vou ao Cloisters, um mosteiro em Manhattan que quase ninguém conhece.

O que fazes pra manter a sua saúde mental e corporal em dia? Ou simplesmente nasceu assim mesmo?

Andy Anderson – Eu patino sempre que posso e leio obsessivamente (rs).

O que te faz feliz? O que te motiva a viver? E o que gostas de fazer? O que mais te da tesão?

Andy Anderson – Sou caseiro, odeio sair a noite (rs), e inteligência me dá muito tesão. O que me faz feliz e me motiva é saber que eu não preciso fazer a mesma coisa todos os dias, odeio essa sensação de repetição de dias.

Se não fosse escritor, o que você gostaria de fazer pra ganhar a vida?

Andy Anderson – Se não fosse escritor queria ser ator, mas tenho medo de palco.

Sobre o que mais gosta de escrever?

Andy Anderson – Como eu gosto do Stephen King e Joe Hill eu gosto de escrever aventuras e dramas psicológicos.

O que mais preza numa relação?

Andy Anderson – Prezo a liberdade de ser quem eu sou, sem máscaras. Sou um cara que gosta das coisas claras e se meu namorado tem vontade de ficar com outros caras, desde que não seja um segundo relacionamento, por mim tudo bem. Eu sei diferenciar amor de tesão.

Apesar de toda essa liberdade referente à relacionamento, você também gosta de relações monogâmicas?

Andy Anderson – Em minha experiência eu sei que relações monogâmicas não duram: ou acabam, ou abrem ou um dos dois faz escondido e passa pro outro uma falsa ideia de segurança. Como eu sei que tesão e amor são coisas diferentes, em odeio sensação de culpa, eu prefiro ser claro desde o início. E tem funcionado bem.

Qual a melhor e a pior cantada já recebestes?

Andy Anderson – Melhor: “Adorei seu casaco. Pendura ele no closet lá de casa”, ganhou pelo humor. Pior: “Quantos drinks tenho que te pagar até você fazer o que eu quero?”. E eu respondi: “bom, eu não bebo”.

Você ficaria ou namoraria com algum ex de algum melhor amigo seu? Como seria isso pra ti? E se um amigo ficasse e namorasse com algum ex que foi muito marcante na sua vida, o que pensa sobre o assunto?

Andy Anderson – Ninguém pertence a ninguém. Se o cara me namorou e não deu certo, pode ser que dê certo com outra pessoa. E se for amigo meu e isso não atrapalhar amizade, problema nenhum. O ser humano em geral tem essa coisa de posse, de prender, de não abrir mão. Não dá pra ser mais assim.

O que te deixa louco de tesão?

Andy Anderson – Louco de tesão eu fico quando vejo o cara completamente entregue às minhas vontades.

E para terminar, algumas fotinhos do lindo:

Nosso obrigado a todos que participaram.

Deixe uma resposta