Nossos ossos de Marcelino Freire

0
10
views
Nossos Ossos - Marcelino Freire
Nossos Ossos – Marcelino Freire

Ficha Técnica
Autor: FREIRE, Marcelino.
Título: Nossos Ossos
Edição:
Editora: Record
Ano: 2013
Número de Páginas: 128

Quando crianças costumamos fazer mil versões sobre como seremos na idade adulta. Viajamos entre super-herois, bombeiros, artistas de sucesso, músicos, dançarinos e outros tantos.

O futuro nos parece um universo a parte, mágico e onde tudo será possível. Com o tempo, quando o envelhecimento nos alcança e rouba gradativamente nossa inocência, vamos percebendo que a verdade nem sempre se apresenta como em nossos sonhos.

A história de Heleno, no livro Nossos Ossos de Marcelino Freire, me fez pensar justamente nos sonhos infantis em frente a uma realidade nem sempre tão doce.

Heleno, homossexual, escritor de peças teatrais, sofreu as mazelas da vida. No trabalho encontrou sucesso, mas não sem antes sofrer os desafios amargos ali presentes.

No amor encontrou sua primeira grande batalha e decepção, que inclusive perdurou por toda sua história.

Sozinho em São Paulo, o homem de Sertânia (Pernambuco), foi obrigado a se superar e enfrentar um mundo de desafios. Como muitos de nós, Heleno não conseguiu encontrar um amor tranquilo, seja pelo próprio estigma social influenciador de atitudes em meio aos gays, seja por uma postura defensiva imposta por ele em resposta as dores dos primeiros amores.

Cansado, Heleno encontrou entre garotos de programa a companhia para sanar suas vontades carnais e algumas sentimentais.

Entre os corpos jovens de meninos com a mesma origem dele, Heleno buscava preencher um vazio deixado em sua alma que mesmo prêmios, dinheiro e o sucesso não eram capazes de saciar.

A vida seguia seu rumo até uma notícia encontrar nosso protagonista a caminho de sua casa, vindo de uma farmácia qualquer. Seu boy havia sido assassinato e o corpo frio do jovem repousava abandonado no IML.

Tomado por outros acontecimentos recentes, vemos Heleno mover céus e terras para levar o corpo do amante para o mesmo Pernambuco de onde viera.

Enfrentando um mundo de michês, prostitutos, travestis e até a polícia, Heleno organiza a volta para casa de seu boy e, neste percurso, rememora os acontecimentos de sua vida até aquele momento.

De linguagem direta e simples, o texto carrega o leitor quase sem respiros. Falas e descrições misturam-se sem separações aparentes, o que não nos impede de compreender exatamente o que são cada uma delas.

Nossos Ossos é o primeiro romance de Marcelino Freire, nascido na mesma Sertânia que seu personagem principal. Ele também foi autor dos contos Angu de Sangue, Amar é crime e Rasif e Contos Negreiros, este último, vencedor do prêmio Jabuti (2006).

Nossos Ossos é uma obra fácil de ser lida, com descrições sobreas e claras. É mais um título da minha estante de livros gays que indico para você.

E para fechar, transcrevo o trecho que mais me tocou no livro, por questões puramente pessoais:

“mesmo quando escrevi o meu teatro, é da falta de vida que ele se alimenta, meus textos, dramáticos, só foram possíveis porque estão impregnados desta minha morte, um autor só é autor, digamos, quando é vítima de um crime, de um atentado, um desprezo, um exílio, um corte, um esquecimento” (p. 118)

E no mais, continue firme e forte.

Referências
Livro Nossos Ossos; DrunkSandJunkies; Livre Opinião; Marcelino Freire;

Deixe uma resposta