Os Gostosos do Instagram: Brock O’Hurn

2
15
views

Algo de que grande parte da nossa sociedade reluta em abrir mão são os estereótipos, aqueles padrões de comportamento esperados das pessoas a partir de observações superficiais como o seu sexo biológico, renda, cor de pele e outros afins.

As religiões são as principais recriminadoras de qualquer comportamento considerado um desvio como, por exemplo, mulheres se vestirem como homens.

Aliás, neste sentido, existe uma lista gigante de limites para ambos os sexos, algo também alimentado pela nossa sociedade patriarcal, amedrontada por qualquer comportamento audacioso que possa desafiá-la.

No espetáculo Hair (1967), por exemplo, os padrões rígidos e infantis da sociedade são desafiados principalmente por homens com cabelos longos.

Em vários momentos da peça este comportamento desviado é recriminado por não se adequar ao esperado do macho social, principalmente no ambiente militar onde os longos fios são considerados traços de homossexualidade, feminilidade e fragilidade.

O interessante é que cabelos longos foram considerados importantes em sociedades ancestrais como, por exemplo, em tribos indígenas norte-americanas e em figuras religiosas centrais como Jesus, Buda, Shiva e outros.

Isso se deve em parte pelo fato dos cabelos longos serem considerados como condutores de energia e, quanto menores forem, menos capacidade energética eles terão (algo que me lembra a história de Sansão e seus cabelos).

Além disso, pode haver certo preconceito contra caras com cabelos longos principalmente pela associação que este tipo de cabelo tem com a mulher, portanto apontando para uma visão machista.

Eu, particularmente, nunca deixei meus cabelos crescerem muito, apesar de ter vontade. O motivo é basicamente a preguiça, afinal cuidar de cabelos curtos é bem mais fácil e eu já tenho a barba para cuidar e mimar.

De qualquer maneira tem homens muito sensuais que abusam de seus longos cabelos para fazer muito charme.

Um deles, com certeza, é o personal trainer Brock O’Hurn, que, devido sua profissão, construiu um corpão invejável para os fãs dos musculosos.

Atualmente em Los Angeles (EUA), Brock não esconde sua beleza e distribui fartamente seu charme por meio das redes sociais.

Eu, que não sou de ferro, sigo e babo assumidamente neste lindão.

E você, o que acha de homens com cabelos longos?

Referências
Brock Hurn Facebook; Brock Hurn Instagram; Brock Hurn Twitter; Filosofia Imortal;

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta