São Paulo, por que te amo?

1
13
views

Falem bem ou falem mal, mas falem de mim… Se São Paulo fosse uma pessoa esse seria seu pensamento sobre o dia de ontem.

Ao chegar aos seus 462 anos, a cidade virou assunto nacional nas redes sociais, na televisão, na internet, nas rodas de amigos, talvez até na espiritualidade….

Muitos criticaram, citaram alguns dos seus extensos e gigantescos problemas, e não há como negar que eles existem mesmo. Transito caótico, violência descomunal, agressividade de seus habitantes, impessoalidade das relações, sujeira excessiva, falta de conservação de lugares públicos e privados, tamanho excessivo, transporte público péssimo, falta de tranquilidade, e desigualdade extrema.

Tudo isso é verdade, está presente no dia-a-dia de quem mora aqui e basta olhar para os lados para ver tudo isso estampado na sua cara.

Os desafios para lidar com esses problemas são enormes e muito complexos, seja por causa do tamanho dos problemas, seja porque algumas pessoas simplesmente não querem mudar. Imaginem como é pensar em soluções para os problemas do transporte urbano na cidade quando temos mais de duas dezenas de milhões de pessoas querendo e precisando se deslocar todos os dias. Imaginem como é difícil mantar uma cidade limpa quando se tem milhões de pessoas transitando e jogando lixo pelas ruas, jogando lixo pelos carros, transformando terrenos e praças em depósitos de lixo a céu aberto. Isso sem contar os problemas que dependem de coisas ainda mais complexas que ficam fora do alcance dos moradores, como a questão da violência, da falta de tranquilidade e da desigualdade social.

Tudo isso faz de São Paulo uma cidade muito desafiadora para se viver e não são poucas as pessoas que vem e vão embora após um tempo, por não aguentarem tudo isso junto com o ritmo alucinado de tudo e de todos… É uma pena que essas pessoas desistam, pois São Paulo tem muito mais do que só problemas a ser levado em consideração.

Aqui é a cidade que não dorme. O que você precisar na madrugada você é capaz de achar. De um simples hambúrguer, até advogado e padre pra abençoar. De pedreiro pra fazer reparos de emergência até comida japonesa. O paulistano se acostumou a ter tudo na mão, ainda que seja caro, esdrúxulo e desnecessário.

E por falar em japonês, São Paulo é uma cidade múltipla, miscigenada e democrática. É uma cidade construída por imigrantes e aqui as pessoas das mais diversas origens, raças, credos, profissões, sexualidades encontram, em maior ou menor grau, seu espaço, seu respeito e sua oportunidade. Só quem morou fora sabe como é difícil morar em outro país, estado ou cidade. Na maioria das vezes a adaptação é custosa, a pessoa é segregada e discriminada socialmente e muitas vezes você se sente um estranho morando na cidade dos outros.

Mas com São Paulo é diferente, a esmagadora maioria das pessoas que vem pra cá dizem que após um começo turbulento e difícil, São Paulo acaba dando espaço a seu novo morador, aceitando-o de coração aberto, fazendo com que ele se sinta à vontade e faça daqui sua nova casa, ainda que não tenha praias, cassinos ou a melhor das qualidades de vida.

E é essa capacidade de aceitação e integração que gera um caldeirão de culturas interessantíssimo, rico e que nos faz ter maior possibilidade de aceitação com o próximo. Claro que é só uma possibilidade, pois depende de cada um aprender e aceitar essas culturas, enriquecer seu universo e crescer cada dia mais. Mas a possibilidade está ali presente, te aguardando paciente e perseverantemente.

Essa talvez seja a maior e melhor qualidade de São Paulo, sua capacidade de unir, fundir e aceitar gerando um caldo único de miscigenação cultural, que aproxima as pessoas, quebra as barreiras e permite um convívio nem sempre harmônico, mas muito interessante e engrandecedor.

Aqui é possível ver alguns judeus e árabes, japoneses, chineses e coreanos, americanos e russos, inimigos históricos todos juntos, muitas vezes repartindo a mesma mesa, a mesma casa e por vezes até a mesma cama, construindo uma vida em conjunto. Se pensarmos na situações do Oriente Médio, das relações sino-japoneses e da guerra fria entenderemos como o que fazemos é tão profundo e revolucionário. E é aqui onde começam a cair mais facilmente as barreiras entre negros e brancos, homos e héteros, nordestinos e sulistas, e até mesmo entre ricos e pobres.

Claro que há uma série de erros, problemas e por vezes falta de respeito e aceitação entre esses grupos. Há muito a evoluir nessas relações, porém a humanidade é um experimento em andamento e temos muito a progredir. E São Paulo nos propicia uma série de possibilidades para essa evolução, basta abrirmos nossos olhos, mentes e corações e nos permitirmos extrair lições valorosas desse caldo humano-cultural.

Assim, ao desejar parabéns a essa cidade, também desejo a todos os paulistanos e aos que aqui moram que aproveitem ao máximo essas possibilidades de contato com pessoas, culturas e opiniões diferentes, se abram ao novo, àquilo que tem uma visão diferente do que você vê, e assim se diversifiquem, cresçam e façam suas vidas cada dia mais plurais, ricas e interessantes! Explorem essa diversidade que lhes rodeia, colham os bons frutos dessas experiências e vivam melhor a cada dia!!!

Parabéns São Paulo, e que haja mais e melhores 462 anos de crescimento, aprendizado e amor!!!

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta