Bruta Flor: Uma peça de teatro sobre homofobia e sua restrição ao amor

0
22
views
Bruta Flor

Bruta Flor é uma peça de teatro que retrata a tensa relação entre dois homens e um amor que se torna impossível por causa da homofobia internalizada.

Sobre a peça Bruta Flor

A peça narra a história de Lucas e Miguel, que depois de uma relação escondida na adolescência, se afastam por 10 anos.

O reencontro dos dois acontece em um inusitado esbarrão no metrô, que traz de volta também velhos sentimentos e desejos entre os dois.

Apesar do desejo mútuo, Lucas – que teve uma infância bastante difícil –, carrega medos e anseios alimentados por uma homofobia internalizada que o impedem de vivenciar plenamente seus desejos.

Casado e a espera de seu primeiro filho, ele se vê perdido em seus sentimentos, ora se entregando aos seus desejos por Miguel, ora se recusando a aceita-los, forçando várias situações para afirmar sua masculinidade.

Assumidamente gay e cosmopolita, Miguel se permite viver a relação delicada com Lucas por algum tempo, porém sua paciência se esgota e o leva aumentar ainda mais tensão na história, colocando Lucas contra a parede.

O drama e a tensão da peça

O centro dramático da peça Bruta Flor está no personagem Lucas e sua homofobia internalizada.

Durante as cenas vai ficando cada vez mais claro o impacto de sua criação e mesmo a idealização quase infantil que o personagem cria da vida, com um retrato de perfeição digno de qualquer comercial tradicionalista de margarina (ou panfleto daquelas religiões fundamentalistas).

Apesar disso, seus desejos por outro homem colocam em xeque sua própria crença e ideais sobre ser homem, sobre o conceito de masculino e mesmo de relações amorosas.

Os dilemas entre o trio composto por Lucas, sua esposa e Miguel vão ganhando mais peso conforme a história se passa, vemos um confuso Lucas que vai se perdendo ao ver tudo que acredita ruir em sua mente.

Sem base e apoio para passar por esses dilemas, vemos a desconstrução de um homem que não consegue lidar com seus próprios sentimentos.

Tão factível quanto uma história lida em uma manchete de jornal, a narrativa pode se tornar desconfortável para quem perceber o quão próximo da realidade aquelas situações estão.

Eu, particularmente, terminei a peça sentindo um misto de raiva, nojo e pena de um Lucas que, vítima de uma sociedade escrota e heteronormativa, se torna vilão de sua vida e de muitas outras.

Informações sobre a peça

Bruta FlorTítulo: Bruta Flor

Temporada atual: de 6 a 27 de outubro de 2017

Em cartaz no: Teatro Auguta

Texto: Vitor de Oliveira e Carlos Fernando Barros

Ingressos: Teatro Augusta

Deixe uma resposta