Somos os únicos que tem a permissão de definir o tamanho dos nossos desafios

0
9
views

Nossos desafios são nossos, ninguém além de nós pode aferir se eles são grandes ou pequenos, afinal eles representam aquilo que precisamos trabalhar em nós mesmos, ou na nossa vida, para evoluirmos.

Algo que para mim pode ser um desafio, não necessariamente representa um problema para outros. Assim como algo que para mim é simples pode representar um grande dilema na vida de outras pessoas.

Estive pensando muito nisso devido aos meus dilemas que, para muitos, podem parecer corriqueiros. Não é, por exemplo, por que existem muitas pessoas com facilidade de vivenciar relacionamentos amorosos que isso deve ou será fácil para mim.

As coisas que eu enfrentei na minha vida, como perseguições, violências diversas e muita homofobia, moldaram a forma como eu lido com a vida atualmente.

Aliás, é natural se esperar que eu tenha dificuldades de me relacionar, já que sinto atração por homens, figuras que foram responsáveis por muito dos ataques e perseguições que sofri (e como confiar ou amar alguém que, de uma forma ou de outra, representa a figura de algo que te fez muito mal?).

A soma das nossas vivências criam os fantasmas e obstáculos que temos que superar, então, seja qual for nossos dilemas, só nós mesmos podemos aferir a eles sua real grandeza, a grandeza da dor que sentimos ao enfrentá-los.

Já tive vergonha de assumir minhas dores e minhas falhas, afinal vivemos em uma sociedade onde “se fazer de forte” é bonitinho e qualquer coisa que fuja disso pode ser considerado vitimismo ou falta de coragem.

Hoje sei que esses discursos prontos só servem para nos enterrar em um monte de bobagem que não soluciona a dor nem ajuda a superar os desafios (e nem nos torna melhores).

Se você não tem meus problemas ou não tem problemas, que bom para você. Se você tem problemas iguais ou parecidos com os meus, vamos nos ajudar. Mas se você só está nessa vida para julgar os outros do seu púlpito, vai dar um passeio bem longe por que nessa eu não entro mais.

A partir de agora é muita sinceridade e franqueza para lutar contra essas dores, superar os desafios e que tudo mais vá para o inferno.

Deixe uma resposta